Notícias sobre Regulação


Cientistas espanhóis desenvolveram um sistema que permite saber como o cérebro de golfinhos e baleias reage ao barulho no fundo do mar. O aparelho permite diagnosticar problemas auditivos nos cetáceos, espécies que se encontram entre as mais ameaçadas do planeta, para que sejam analisadas as chances de sobrevivência dos animais e que cuidados devem ser tomados.

A pesquisa, feita pelo Laboratório de Aplicações Bioacústicas da Universidade Politécnica da Catalunha, começou depois que foram identificados diferentes e graves problemas associados a barulhos provocados pelo homem. Foram constatados, por exemplo, o aumento de mortes por causa de colisões com barcos e o desaparecimento de baleias em uma região depois de manobras militares. A extração de petróleo e gás também é uma fonte de poluição sonora no ambiente marinho.

Antes, a medição da sensibilidade auditiva dos cetáceos era feita com o transporte para laboratórios. Mas devido ao tamanho dos animais e às dificuldades nesse procedimento, os pesquisadores desenvolveram um dispositivo com capacidade de gerar estímulos de 10 hertz até 200 quilohertz.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.