Notícias sobre Regulação


As perspectivas de expansão do turismo de observação de baleias são o tema desta terceira parte da entrevista do ambientalista José Truda Palazzo Jr. ao CRE (leia as primeiras nos links Uma vida em defesa das baleias e O Brasil está na vanguarda). Para o presidente da Coalizão Internacional da Vida Silvestre (IWC/BRASIL) no Brasil, integrante do Grupo Especial de Mamíferos Aquáticos do IBAMA, co-fundador do Projeto Baleia Franca com o Vice-Almirante Ibsen de Gusmão Câmara em 1982 e vice-comissário do Brasil na Comissão Internacional Baleeira (CIB) – atualmente, comissário interino, o turismo de observação de baleias contribui para a preservação das espécies porque “agrega valor ao bicho vivo, não morto”.

CRE: Existem quantas espécies de baleias no Brasil?

Truda: Existem 11 espécies no Brasil, entre elas franca, jubarte, de-Bryde, fin, minke, azul, orca, cachalote e bicuda.

Como a observação de baleias pode contribuir para a preservação das espécies?

Basicamente, agregando valor econômico à preservação das baleias. Já há 87 países com turismo de observação de baleias, e isso agrega valor aos bichos vivos, não mortos. Aumenta o leque de atores interessados em mantê-los assim, vivos e bem. Há 20 anos, em Santa Catarina, só nós do Projeto Baleia Franca parecíamos interessados nisso. Hoje, interessa ao dono de restaurante, de pousada, de hotel, de posto de gasolina... Porque as baleia levam turismo a Santa Catarina.

A observação de baleias requer cuidados especiais?

Muitas vezes o turismo é feito em época de reprodução, porque é quando a baleia fêmea se aproxima mais da costa, ficando mais visível. Só que ela está mais frágil também. Há uma regulamentação bem razoável sobre como esse turismo ser feito. Aqui em Santa Catarina, que tem uma grande área de proteção ambiental, o trabalho de campo mostra que, se essas normas forem respeitadas, não há impacto.

Onde esse tipo de turismo já está forte no Brasil?

No litoral Sul de Santa Catarina, no Sul da Bahia, na Praia do Forte, também na Bahia, e em Abrolhos.

Há perspectivas de expansão dessa atividade?

Muitas. Temos a baleia-de-Bryde em São Paulo, principalmente na região de Santos e Ubatuba, que tem enorme potencial turístico no verão. Há também a minke na costa da Paraíba. Mas faltam ainda estudos de concentração das espécies, ainda há muito o que se fazer.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.