Notícias sobre Regulação


O impacto das plataformas de petróleo na vida de baleias e golfinhos não é tão negativo quanto se pensa. É o que revela um estudo desenvolvido pela Escola Nacional de Saúde Pública em parceria com a Gerência de Avaliação e Monitoramento Ambiental do Centro de Pesquisas da Petrobras. Ao elaborar um mapeamento sobre 30 espécies presentes na Bacia de Campos, entre o norte do Rio de Janeiro e o sul do Espírito Santo, área com a maior produção de petróleo do país, a pesquisa concluiu que não há uma relação de causa e efeito entre a exploração de óleo e gás e a mortalidade dos cetáceos.

Coordenador do trabalho, o biólogo Salvatore Siciliano atribui a presença de baleias – como as francas e as jubartes – e golfinhos na Bacia de Campos à riqueza do ambiente. O estudo mostrou que as grandes estruturas metálicas das plataformas favorecem o surgimento de anêmonas, corais e crustáceos, atraindo peixes, que são o alimento dos cetáceos. Além disso, as luzes e sons servem de orientação para os mamíferos aquáticos. Os pesquisadores ressaltam, no entanto, que eventuais vazamentos de óleo e o tráfego de embarcações são fatores de risco para a vida dos cetáceos.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.