Notícias sobre Regulação


Durante a oitava reunião extraordinária do CNPE (Conselho Nacional de Política Energética) ocorrida no dia 08/11/2007 na sede da Petrobras - costumeiramente as reuniões do CNPE ocorrem em Brasília - onde estavam presentes sete ministros de estado, o presidente Lula e outros representantes do governo, foi anunciado a descoberta de uma reserva de petróleo leve e gás natural com volume entre 5 e 8 bilhões de barris.

O novo campo, denominado Tupi, está situado no Bloco BM-S-11, na Bacia de Santos/SP, em uma área pré-sal (rochas-reservatórios que se encontram abaixo de uma extensa camada de sal) que se estende do litoral de Espírito Santo até Santa Catarina, possuindo cerca de 800 km de extensão por 200 km de largura, em lâmina d'água entre 2.000 e 3.000 metros de profundidade.

A nova área de exploração de petróleo e gás pode aumentar em até 60% as atuais reservas do país, que hoje equivale a 14 bilhões de barris.

O Campo de Tupi foi arrematado na Segunda Rodada de Licitações da ANP, no ano de 2000 pela Petrobras que é a operadora do campo e possui 65% da área exploratória, pela empresa britânica BG que detém 25%, e a portuguesa Petrogal, que tem participação de 10%, sendo que nos últimos dois anos, foram perfurados 15 poços, com profundidade entre 5.000 e 7.000 metros, que atingiram as camadas pré-sal, dos quais oito foram devidamente testados e avaliados, o que representou investimento da ordem de US$ 1 bilhão.

O primeiro poço exploratório demorou cerca de um ano para ser concluído e consumiu US$ 240 milhões, porém atualmente, segundo a Petrobras é possível perfurar um poço equivalente em apenas 60 dias, com um custo de US$ 60 milhões.

Os indícios de petróleo leve a gás natural no Campo de Tupi foram anunciados pela primeira vez em 11 de julho de 2006, sendo que há a perspectiva de existência de 56 bilhões de barris de reservas recuperáveis em toda região do pré-sal, do Espírito Santos a Santa Catarina.

A reserva de Tupi é importante não só pela sua dimensão, mas também pelo fato de o óleo lá encontrado ser leve, de melhor qualidade e maior valor comercial, e que certamente levará o Brasil a ser realmente auto-suficiente em petróleo, pois a auto-suficiência do Brasil é apenas aritmética, já que produz petróleo em quantidade suficiente para seu próprio consumo, porém como quase toda sua produção é de óleo pesado, o Brasil é obrigado importar de 10% a 15% de petróleo leve, que é misturado ao pesado para refino.

Outro fato que merece ser destacado é que o Campo de Tupi está sob uma extensa camada de sal localizada no subsolo marinho, ao reverso dos demais campos brasileiros, os quais estão localizados acima dessa camada, o que representa um ganho tecnológico para o país, na medida em que as profundidades dos futuros poços exploratórios serão maiores que a usual, o que demandará mais investimentos e tecnologia.

A descoberta não resolve o problema energético brasileiro atual, já que a exploração experimental do campo deve começar em 2010 ou 2011 com 100 mil barris por dia, e a produção comercial, apenas em 2014.

Segundo o Governo Federal a descoberta do Campo de Tupi, faz com que o Brasil, que hoje ocupa a 24ª posição no ranking mundial de paises produtores de petróleo, passe a integrar a elite mundial do petróleo, ocupando a nona posição, atrás apenas da Rússia, Irã, Arábia Saudita, Catar, Emirados Árabes, Iraque, Kuwait e Venezuela.

Para a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o Brasil poderá se tornar exportador de petróleo. Segundo ela "antes estávamos preocupados em obter a auto-suficiência na produção de petróleo e agora podemos nos tornar exportadores".

O anúncio fez com que as ações da Petrobras subissem 14%, elevando seu valor de mercado em US$ 28 bilhões num único dia, chegando a um valor total de US$ 221,9 bilhões, passando gigantes americanas como o Google e o Bank of America, um dos maiores bancos do planeta.

Fonte: Veja, Folha de São Paulo, Jornal do Comércio, TN Petróleo, ANP, Brasil Energia.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.