Notícias sobre Regulação


Em entrevista ao jornal O Globo, do Rio de Janeiro, o diretor-geral da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lobo, fez um balanço do setor em 2009 e negou que a mudança do marco regulatório para a exploração tenha esvaziado o órgão. "A ANP não foi esvaziada, ela dobrou suas funções. Continuaremos fazendo editais, contratos e regulação das concessões. E faremos tudo isso também para o pré-sal", afirmou.

O dirigente reconheceu a dificuldade de realizar ainda no primeiro trimestre de 2010 a 11ª Rodada de Licitação e Exploração, mas garantiu que o leilão acontecerá até junho, embora não incluam blocos do pré-sal. "A licitação do pré-sal será especial. Seria a primeira rodada com partilha da produção. Estamos estudando contratos para determinar o modelo", disse ele, citando países da África do Norte e do Oriente Médio.

Para Lima, 2009 foi um ano de grandes vitórias. "Passamos de um setor que, dez anos atrás, tinha participação de 2% do PIB para algo em torno de 11% hoje. Por outro lado, deu-se uma diversificação muito grande. Conseguimos êxitos extraordinários. Somos o único país do mundo em que o consumidor pode escolher entre três combustíveis (etanol, gasolina e gás natural). Somos também o maior produtor de etanol feito com cana de açúcar, o que nos dá um colorido verde importante. Passamos a ser o quarto maior produtor mundial de biodiesel e quintuplicamos a participação do gás natural na matriz energética, de 2% para 10%, desde 1990", comemorou.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.