Notícias sobre Regulação


O consórcio que vencer o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, terá que investir R$ 1,5 bilhão (US$ 824 milhões) para compensar os impactos ambientais do empreendimento, orçado inicialmente em R$ 20 bilhões (US$ 11 bilhões). O cálculo é do ministro do Meio Ambiente, Carlos Minc, que acredita que a licença prévia será concedida em até três semanas. As empresas terão que gastar com saneamento, construir uma escola técnica para manejo de produtos florestais e adotar espécies ameaçadas de extinção.

O valor é bem superior ao que foi exigido para as hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio – R$ 400 milhões (US$ 220 milhões) e R$ 450 milhões (US$ 247,4 milhões), respectivamente. Isto porque as usinas do Rio Madeira serão bem menores do que Belo Monte – juntas, vão gerar 40% a menos de energia.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.