Notícias sobre Regulação


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu duas consultas públicas para colher opiniões de diferentes setores da sociedade sobre o uso de aditivos e flavorizantes que modificam o sabor dos cigarros – o mais utilizado é o de menta. Integrantes do movimento antitabagista defendem a proibição dessa prática, alegando que o consumo de um produto com gosto mais agradável tem o objetivo de dificultar o abandono do vício. Já representantes da indústria do fumo afirma que a análise não tem base científica e alertam para impacto negativo que a proibição poderia provocar.

Em entrevista à revista de economia Exame, Leonardo Senra, diretor financeiro e de relações com os investidores da Souza Cruz, maior fabricante de cigarros do Brasil, afirmou que as empresas são favoráveis à regulação da indústria. “Mas desde que seja uma regulação que tente equilibrar o interesse de todos os stakeholders (setores legitimamente interessados)”, destacou. Segundo ele, a proibição de cigarros mentolados afetaria a cadeia produtiva do tabaco, prejudicando mais de 50 mil agricultores.

Os fabricantes decidiram investir em cigarros mentolados – mais caros – como uma aposta para compensar a estagnação nas vendas e o avanço do mercado ilegal.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.