Notícias sobre Regulação


Nativo dos oceanos Pacífico e Índico, o peixe-leão (Pterois volitans) se tornou uma ameaça à biodiversidade marinha do Atlântico Sul. Com cores brilhantes, a espécie se alimenta de peixes menores – seu estômago pode se expandir até 30 vezes do volume inicial –, se reproduz com facilidade e não possui predadores fora de seu ambiente local.

De acordo com Sílvia Ziller, diretora para América Latina do Programa Global de Espécies Invasoras (Gisp), a introdução de espécies exóticas já representa a segunda causa da perda da biodiversidade do planeta, perdendo apenas para a destruição provocada pelo homem.

Estudos indicam o peixe-leão chegou ao litoral da América do Sul em função da passagem do furacão Andrew pela Flórida, no fim do século passado. Entre 1999 e 2010, a espécie invadiu o mar do Caribe, o Golfo do México, os litorais da Costa Rica, Panamá e Colômbia e, mais recentemente, a costa da Venezuela. O temor é que chegue agora ao Brasil. Para conter esse avanço, no Caribe, por exemplo, está sendo praticada pesca com arpões do peixe-leão.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.