Notícias sobre Regulação


ITAR-TASS Quara-Feira, 28 de setembro/2011

A experiência de implementar projetos de petróleo e gás na região de Sacalina deveria ser usada no desenvolvimento de campos offshore no Leste Ártico, afirmou o governador Alexander Khoroshavin, da região de Sacalina, na quarta-feira. Segundo ele, a experiência de organizações de Sacalina quanto ao desenvolvimento de reservas na plataforma Ártica pode ser de extremo valor.

Ele disse que novas tecnologias na perfuração de poços, construção de plataformas de petróleo e gás, instalação de unidades terrestres de processamento, etc., foram usadas pela primeira vez na plataforma de Sacalina sob condições climáticas adversas. Ele observou que a questão de desenvolvimento conjunto da plataforma do Leste Ártico pela Rosneft e a empresa americana Exxon Mobil foi discutida na Conferência 2011 de Óleo e Gás de Sacalina, que começou em Iujno-Sakhalinsk em 27 de setembro.

A Conferência de Óleo e Gás de Sacalina ocorre anualmente há 15 anos. Por nove vezes esses eventos foram em Londres e nos últimos seis anos o local desse fórum foi Iujno-Sakhalinsk. “É extremamente importante que, durante os anos da Conferência de Óleo e Gás de Sacalina, o prestígio da região de Sacalina como novo centro de escala mundial da indústria de petróleo e gás, que tem como base projetos de grande escala – Sacalina-1 e Sacalina-2, vem se fortalecendo consideravelmente aos olhos do mundo e do público russo,” declarou Khoroshavin na abertura da conferência 2011 de Óleo e Gás de Sacalina na terça-feira. Khoroshavin observou que as conquistas na área da indústria de petróleo e gás se baseiam na implementação dos projetos de desenvolvimento offshore Sacalina-1 e Sacalina-2. Atualmente, a produção anual de petróleo e gás dos projetos Sacalina se estabilizou: cerca de 15 milhões de toneladas de petróleo e 24 bilhões de metros cúbicos de gás são produzidos anualmente.

O Diretor Geral, Lev Brodsky, da sociedade anônima RN-Shelf Far East, ao discursar na conferência na terça, afirmou que “o Leste do Ártico está praticamente inexplorado. E suas reservas são enormes. O desenvolvimento deste território irá determinar o desenvolvimento da indústria de óleo e gás no leste da Rússia nos próximos 10 anos, e será necessário prestar atenção à grande experiência no desenvolvimento dos depósitos de Sacalina para utilizar a infra-estrutura existente.”

A RN-Shelf Far East CJSC está envolvida na perfuração de poços de exploração no bloco Venin de Sacalina-3. A empresa administra as operações offshore no Mar de Okhotsk. A empresa está baseada na Federação Russa. A RN-Shelf Far East CJSC opera como uma subsidiária da Rosneft Oil Company.

As águas dos mares do Leste Ártico cobrem uma área total de 1.080 quilômetros quadrados. As províncias com perspectivas de óleo e gás, Laptev e o Leste-Ártico, bem como as regiões com perspectivas similares, Ust-Indigirka e Chukotka Sul, estão nesta área. Os recursos totais existentes no corpo d´água formado pelo Mar de Laptev, Mar Leste Siberiano e o Mar Chukchi (parte russa), apesar de serem classificados como problemáticos em função de sua exploração deficiente, correspondem a 72 por cento de todos os recursos inicialmente existente no leste da Rússia.

A Plataform Siberiana, uma das plataformas costais do Oceano Ártico (como a Plataforma de Gelo Milne) é a maior plataforma continental do planeta, que forma parte da plataforma continental da Rússia. Ela se estende do continente euro-asiático na região geral do norte siberiano até o Oceano Ártico. Também se estende por 1.500 quilômetros da costa. É relativamente rasa, com profundidade média de 100 m. Há inúmeras ilhas espalhadas pela plataforma, incluindo as de Wrangel, Novaya Zemlya e as Novas Siberianas. Há os Mares de Kara, Laptev e o Leste Siberiano, que respectivamente a subdividem-se nas plataformas com os mesmos nomes (ex: Plataforma do Mar de Kara). Ao leste, ela se junta com a Plataforma de Chukchi (do Mar de Chukchi), compartilhada pela Eurásia e Alasca (ex: pela Rússia e os Estados Unidos). A oeste se junta com a Plataforma Barents do Mar de Barents. Também, as Ilhas Novas Siberianas e a Bacia da Fenda Nova Siberiana definem a Plataforma Nova Siberiana. Conforme a divisão do alto Ártico pela fenda oceânica de Lomonosov em a Bacia euro-asiática e Bacia ameri-asiática, a Plataforma Siberiana é dividida entre a Plataforma euro-asiática e a ameri-asiática.

Fonte: http://www.rigzone.com/news/article.asp?a_id=111348&rss=true

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.