Notícias sobre Regulação


Um estudo preliminar feito pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) indica que o estado do Rio de Janeiro deverá ser o maior beneficiado com a descoberta da gigantesca reserva petrolífera de Tupi. Apesar de o campo se localizar na Bacia de Santos, que fica no litoral de São Paulo, as coordenadas geográficas medidas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que a jazida está no estado do Rio, que arrecadará royalties e participações especiais de acordo com a produção.

O mesmo ocorre com o bloco onde está localizado o campo de Júpiter, de gás natural. Considerando uma produção futura de 1 milhão de barris por dia nas duas reservas, o total de royalties e participações especiais gerados poderá chegar a US$ 2 bilhões. Esse valor seria dividido entre o estado e seis municípios – Arraial do Cabo, Araruama, Saquarema, Maricá, Niterói e a capital Rio de Janeiro –, em frente dos quais estão localizadas as jazidas.

No entanto, somente após a definição das áreas dos campos pela Petrobras é que se saberá com precisão que locais terão direito ao benefício. Depois, a empresa – sócia majoritária de Tupi e Júpiter – enviará os dados à ANP. Em seguida a agência repassará as informações ao IBGE, que fará um cálculo traçando linhas paralelas e perpendiculares para chegar à definição dos estados e municípios onde estão as jazidas.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.