Notícias sobre Regulação


O ministro da Saúde, Ricardo Barros, defendeu o aumento em até 50% do preço do maço de cigarro como forma de combater o tabagismo no Brasil. A medida, no entanto, pode provocar um efeito contrário, na avaliação de técnicos do governo. Isso porque o valor mais alto seria um estímulo ainda maior ao consumo dos produtos contrabandeados, que já se encontra em nível muito alto.

Os cigarros contrabandeados já alcançam 41% do mercado consumidor de tabaco no Brasil, índice que é o segundo maior do mundo, superado apenas pela Malásia, com 51%. A procura por produtos ilegais tem o agravante de, além de não pagarem impostos, não passarem por nenhum controle de qualidade.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.