Notícias sobre Regulação


O Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (Etco) e a Prefeitura de São Paulo lançaram um movimento para combater o contrabando e a venda de produtos falsificados. O objetivo é atrair as maiores cidades do país, onde o comércio ilegal é mais forte. No Brasil, esse mercado gera uma perda de R$ 49 bilhões (US$ 16 bilhões) em arrecadação de impostos por ano, de acordo com levantamento do Fundo Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade.

O plano, elaborado em parceria com entidades empresariais, prevê uma atuação integrada de órgãos federais, estaduais e municipais, com a criação de um comitê que vai traçar as ações para combater a ilegalidade. Já foram identificados 16 segmentos da economia que são altamente afetados pelo contrabando e falsificação. Um deles é a indústria de cigarros. “Além da evasão de divisas, esse problema aumenta o desemprego”, afirma Liel Miranda, presidente da Souza Cruz, maior fabricante de cigarros do país.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.