Notícias sobre Regulação


A redução no orçamento vem obrigando as Forças Armadas brasileiras a rever sua estratégia de controle de fronteiras. A partir deste mês de outubro, em vez de uma vigilância permanente – o que é mais caro –, o plano passou a ser o de intensificar operações pontuais de repressão às ações criminosas, com foco em crimes de contrabando, tráfico de armas e de drogas. O combate à entrada ilegal de cigarros no país é uma das prioridades.

De acordo com a Receita Federal, somente no ano passado, mais de R$ 2 bilhões em produtos ilegais foram apreendidos nas fronteiras, sendo cigarro o principal deles. Estima-se que 48% dos cigarros comercializados no Brasil sejam fruto de contrabando.

© 2007 CRE Brasil - Todos os direitos reservados.